Retrospecto FÍLMICO 2PRA1 2012

VÍDEO CLIPE BICHO DO MATO

RETOMADA CAMINHADA

TEASER CONSTRUÇÃO VÍDEO CLIPE BICHO DO MATO

Anúncios

Poeta Sérgio Vaz de Perto Inspiração Poético

No próximo dia 26 de maio, o agitador cultural, fundador do sarau da Cooperifa e poeta, Sérgio Vaz, fará uma visita ao Projeto COM COM e ao Ateliê Arte nas Cotas, para um bate-papo com as comunidades aqui da Serra do Mar.

O Sarau idealizado por Sérgio Vaz acontece em um bar na zonal sul de São Paulo, há 10 anos, todas as quartas-feiras, reúne por volta de 200 pessoas para recitar e ouvir poesia. É referência em todo território nacional como pólo cultural da periferia e inspirados na Cooperifa acontecem hoje mais de 200 saraus em todo o Brasil.

O poeta mantém um blog o qual atualiza diariamente. Já recebeu vários prêmios e foi eleito em 2009 pela revista Época como sendo uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil.

Sérgio Vaz – Vira-Lata da Literatura nas Redes Sociais

Blog: http://www.colecionadordepedras1.blogspot.com/

E-mail: poetavaz@ig.com.br

Twitter: @poetasergiovaz 

Quinta-Feira, 26/5- das 14h as 17h

Local: Ateliê Arte Nas Cotas

Endereço: Rua do Alojamento 160 – Fabril – Cubatão

Informações: 13 33771371 / e-mails: projetocomcom@gmail.com , atelieartenascotas@gmail.com / Twitter: @projetocomcom

Atividade Gratuita!

Apesar de Não Chegar Frequentemente na Cooperifa e Sarau do Rap, meu máximo respeito ao Sérgio Vaz com a sua Poética Narrativa Real Convicta e Lúcida.

Nos Últimos Anos me Inspirou tão quanto a Hilda Hilste, João Cabral de Melo Neto, Carlos Drumond de Andrade, André Breton, Gregório de Matos, Waly Salomão e Charles Baudelaire.

LEVANTEM-SE

Manifestações dos sigmas dirigidas aos protestos

Independente de Gírias, Provérbios e Dialetos

O Meu Raciocínio é Complexo Independente do Deslexo

Quântico, Semântico, Neologismos dos Egos

A Poesia Sonora de Fatos Reais e Concretos

Sobrenatural EmTranseGente Pronto para Partir…

As Invisíveis Correntes e as Camisas de Forças

Dos Fascínoras Intransigentes que propiciam Calamidades Sociais Entre Corpos e Mentes

Eletrocognitivo, Combatente e Sempre Linha de Frente

Em Virtude dos Humanos Utópicos e Paupáveis

Fora dos Paraísos Globais e dos Efeitos Colaterais

Reverbero os Meus Versos Postulados em Crônicas Musicais

365 dias, 4 Estações e Fenômenos Naturais

Crítico, Dialético, Relativista e Analfabeto dos Intelectuais Analógicos, Digitais, Modus Operantes

Esquizoanalise e Paz Eu Quero a Paz

Lutamos por Direitos Iguais, Família Nacional e Sérgio Vaz Faz

Transmutação em Ritmos Poéticos

Rotações em Fatos Reais e Fatores Éticos

Caóticos e Lisérgicos, Criação de Redes Autonomia da Emancipação

Trabalho Coletivo, Ecoartivismo E Auto-Organização

Adepto Conhecimento Construindo e do Espaço Conquistado

Vamos em Frente Desconstruindo os Apetites Instigados

Simples Crônicas Muscicais do Decorado ao Improvisado

Daquilo que Pode ser de Alguma Maneira o Meu Manifesto Poetizado

Crônicas Musicais Independente do Estado

Graffiti com Pipoca : Mexe & Toca

É com imensa alegria que gostariamos de convidar todo Mundo para o mais novo lançamento do Projeto Graffiti com Pipoca chamado Graffiti que Mexe é Graffiti que Toca.

O Graffiti que Mexe é um DVD contendo diversas animações criadas em mutirões criativos que dão movimento e vida aos graffitis que saem dos muros e invadem as plataformas audio visuais.

Graffiti que Toca é uma coletânea musical criada na união de Mcs, Beatboxers, Poetas, Beat Makers e Produtores AudioVisuais. O intuito colaborativo e participativo foram os ingredientes desta coletânea musical que transformou o graffiti em paisagens sonoras.

O evento contara com a apresentação dos grupos que compuseram a coletânea Graffiti que Toca e logo após serão exibidos o documentário É o Terror e as animações do Graffiti que Mexe.

Venha ao nosso Coquitel comer música e beber idéias.

Que as idéias estourem feito Pipoca…. Graffiti com Pipoca

É com imensa alegria que gostariamos de convidar todo Mundo para o mais novo lançamento do Projeto Graffiti com Pipoca chamado Graffiti que Mexe é Graffiti que Toca.

O Graffiti que Mexe é um DVD contendo diversas animações criadas em mutirões criativos que dão movimento e vida aos graffitis que saem dos muros e invadem as plataformas audio visuais.

Graffiti que Toca é uma coletânea musical criada na união de Mcs, Beatboxers, Poetas, Beat Makers e Produtores AudioVisuais. O intuito colaborativo e participativo foram os ingredientes desta coletânea musical que transformou o graffiti em paisagens sonoras.

O evento contara com a apresentação dos grupos que compuseram a coletânea Graffiti que Toca e logo após serão exibidos o documentário É o Terror e as animações do Graffiti que Mexe.

Venha ao nosso Coquitel comer música e beber idéias.

Que as idéias estourem feito Pipoca…. Graffiti com Pipoca

Exibição dos Filmes: Vídeo Animação “Graffiti que Mexe e Toca” (Graffiti com Pipoca); Vídeo Documentário “Graffiti que Mexe e Toca” (Graffiti com Pipoca); Vídeo Animação “Casa Segura” (JAMAC Digital); Vídeo Clipe “Na Contra Mão do Mundo” Max MusicaMente, Vídeo Documentário “Sudaka Chile” (Harmônicas Batalhas).
Apresentações Musicais: Zero Onze, Max Musicamente , Trajeto In Verso, Toroká, Crânio Preto, Dugueto Shabazz e Pepo Nunes
DJs: Zulu (Clã Leste)
MCs: Toroká + Borracha Beat Box

Sábado, 09/4 – a partir das 17h
Local: JAMAC
Endereço: Rua Maria Balades Corrêa,08 – Jardim Miriam – Travessa da Rua Angelo Cristianini
Informações: 11 56269720 / 11 68408389 / 11 75130248
http://fotolog.terra.com.br/graffiticompipoca / http://graffiticompipoca.wordpress.com
twitter: @grafcompipoca

Grátis

IRMANDADE

2010 enganjado e ressignificado ICH, sem termos executado prioritariamente o nosso maior foco de ação a partir da transmissão audiovisual pela internet fora dinamizado formação de laços e comunicação a partir de e-mails, chats, skype, blog e relações pessoais e humanas a exemplo do intercâmbio Empoderamento de Redes Sociais Para Política Pública de 02 a 17 de Agosto em Maputo/Moçambique intermediado pela Rede Ivoz representada por André Gustavo e colaboradores do projeto no país africano. Agradecemos aos parceiros e parceiras do lado de lá dessa coletiva rota.

O histórico programa InterConexões Humanas realizado 27/11 em São Paulo a conexão estabelecida no Centro Cultural da Juventude – Ruth Cardoso(CCJ), fomentou a aproximação e diálogo com 3 países (Angola/Brasil/Moçambique) de forma estável numa interlocução dinâmica, ordenada e participativa. O Teor dos diálogos transitaram pelas temáticas de HipHop, Literatura Marginal, Meio Ambiente, Colaboração e um Sarau, qual mobilizou ativistas dos países interessados nas possibilidades de trocas simbólicas e tangíveis propostas pela ação.

A ativação metodológica visam sempre o mapeamento, formação de laços e orientação para projetos autogestionários, a representatividade local e a diversidade cultural levem a gestão colaborativa de projetos que agreguem valor mutuamente.

De acordo com os preceitos praticados, segue rica colaboração do nosso respeitado parceiro, fotógrafo e pensador da rede Interconexões Humanas, Zito Bila:

IRMANDADE – Consolidando o Movimento Hip-Hop

Prometido é devido, Ai Vai:

Surgiu em Outobro de 2010 um movimento pró Hip Hop novo, que se dedica a promoção de Grupos de MC’s e Produtores, de Graffiteiros/Desenhadores e da Cultura Hip-Hop em geral. Chamam ao colectivo IRMANDADE – Consolidando O Movimento Hip Hop, constituido por grupos de Rapper’s Residentes no Bairro Central (BC Hood para os Rappers e aficionados) aqui da capital Maputo, nomeadamente das clicks Alizé, Bairro Negro e Mhuiyve Records e Coordenado por elementos dos três grupos: Os MC’s Shackal (Alizé), Stinky Soldier (Bairro Negro) e Tira-Teimas (Mhuiyve Records).

O nome IRMANDADE existe há pelo menos quatro anos, mas era apenas um grupo de amigos que comungava dos mesmos de ideais de paz, de fraternidade, de busca de conhecimento, de re-educação cívica e moral atraves da música RAP, sem descurar da boa e natural crítica politico-social (que caracteriza o Hip-Hop Underground desde sua gênese).

No entanto a tripla viu a necessidade de encetar outras actividades como membros activos da Sociedade Civil, que não fossem exclusivamente a produção e gravação de músicas, bem como a participação periódica nos poucos shows de Hip-Hop que se realizam na Capital. Imbuídos de um humanismo e por meios próprios, estes rapazes provaram uma vez mais serem capazes, mais ainda, quando os apoios e parceiros são poucos, e não tem muito interesse em promover o RAP crítico-educativo, alegando que ataca as elites governativas, ultimamente empresariais.

No entanto posso afirmar convictamente que os membros do colectivo criticam positivamente, até porque anseiam por mudança e desenvolvimento sócio-económico num Moçambique cada vez mais ‘’globalizado’’, com tendência a aumentar os níveis de exclusão social. ‘’Reppa-se’’ sobre se apostar na educação, na manutenção e divulgação de valores culturais locais, sobre a necessidade de se combater a corrupção, sobre a criminalidade que tende a aumentar, sobre o desemprego, e ainda se apresenta algumas ideias de como colmatar alguns dos problemas que afectam nosso povo.

Desde o dia 24 de Outubro, estes camaradas tem organizado e produzido, com o suporte na realização e na fotografia de Zito Bila, e de Face Oculta, uma série de espectáculos denominados Shows Beneficientes da Irmandade, que visam a angariação de doações individuais e institucionais, ou seja, em que cada espectador/participante traga um artigo de roupa ou de comida não perecível para assitir ao show, e ao mesmo tempo promove-se os MC’s e demais fazedores da cultura Hip-Hop da Periferia (de Magoanine, de Inhagoia, da Mafalala, da grande Matola, do Patrice Lumumba, da Polana Caniço, do Bairro do Aeroporto, Georg Dimitrov, etc, ) que não tem espaço para actuar no centro da Cidade.

Vejam e divulguem o material fotográfico de alguns (e os mais ‘’notáveis’’) participantes, juntamente com os respectivos perfis artísticos. Já se realizaram seis edições do evento. Um holler especial ao graffiteiro/Beatbox Fig de la Virgem e ao Tira-Teimas. Os manos Participaram na interconexão Moçambique-Brasil- Angola de 27 de Novembro útimo, e pretendem manter o contacto para exposição de seus trabalhos. Faço menção honrosa aos dois, porque dos muitos convidados a participar no CCBM (Centro Cultural Brasil-Moçambique) na sessão on-line do referido dia, apenas eles honraram a agenda dos trabalhos, e infelizmente ainda houve muita gente fazendo fé de que tal INTERCONEXÃO não se realizaria, o que acabou por desanimar alguns convidados. Tal pensamento, ainda que negativista, só nos estimulou a continuar e ainda que com uma exiguidade e deficit de material o encontro correu maravilhosamente.

Aproveito para agradecer mais uma vez à disponibilidade e apoio do CCBM que foi condiçao sine qua non para a realização da conferência tripartida Moçambique-Brasil- Angola. Um muito obrigado também a todo pessoal que trabalha no CCBM e que facilitou nossa estada lá. Parabéns e Kanimambo Ivoz (Instituto Voz) por uma inerconexão Humana que vale a pena expandir e perpetuar.

RAP = Ritmo, Arte & Paz

Agradecimentos Especiais: Iveth Marlene, Delfina Dança, Zito Bila, Helder Leonel, Leonildo Banze Dingzwayu e S’Gee Salvador Nkamate, Simba Sitoi e de Angola Simão Hossi

 

 

IV Feira de Saúde Mental e ECOSOL

A Rede de Saúde Mental e Economia Solidária realiza a IV Feira de Saúde Mental e ECOSOL no dia 18 de dezembro. A Feira começa às 11 horas na Escola de Enfermagem da USP e contará com apresentações culturais, tenda cultural com exposições e livraria, espaço de formação, praça de alimentação e diversidade de produtos artesanais. Tudo produzido nos projetos e empreendimentos econômicos e solidários da Saúde Mental.

Nesse Natal presenteie seus familiares, amigos, namoradas (os) com nossos produtos!!  Venha se divertir e, neste Natal,  pratique o  consumo consciente e fortaleça o Comércio Justo e Solidário.

Acessem

Rede de Saúde Mental e Economia Solidária
http://saudeecosol.wordpress.com/



Rememorar a Resistência Popular dos Povos Africanos

Empoderamento de Redes Sociais para o Monitoramento de Políticas Públicas – O Cordão que une dois povos irmãos: Brasil e Moçambique”. A proposta faz parte da série de ações promovidas pelo Ponto de Cultura Rede Ivoz, Rede de Produção Cultural Solidária Hip Hop Da Quebrada pra Estrada e o projeto construído com países de língua portuguesa (CPLP) ICH – Interconexões Humanas.

A Rede Da Quebrada pra Estrada vem potencializando circuíto envolvendo jovens estudantes do ensino médio da rede pública e aprendizes da região do butantã e sudoeste da cidade de são paulo, na perspectiva formativa e construção de redes sociais e ativismo hiphop.

Iníciaram as atividades com enfase mais fotográfica e fílmica essa semana em homenagem ao país irmão Moçambique com educandos e educandas segundoanistas da Escola Oswaldo Walder que se prolonga até 20/11. Nessa mesma escola esse ano fora realizado etapa do graffiti com pipoca e ação Da Quebrada pra Estrada.

Ainda no mês de novembro ocorrerá no dia 27 transmissão com jovens protagonistas da cultura hihop e literária maputense com mais um ICH – Interconexões Humanas no CCJ – Centro Cultural da Juventude.

 

Segue programação na íntegra das ações

 

17 e 18/11

 

19:00 – Escola Estadual Oswaldo Walder

R Sara Newton, 256 – Jd. Boa Vista

 

Projeção Animação Fotografica ICH: Intercâmbio 2010

Projeção Filme: O Grande Bazar – Moçambique 2005

 

19/11

 

8:00 – Escola Estadual Emídio de Barros

Av. Nossa Senhora da Assunção, 292 – Rio Pequeno

 

Oficinas: Break, Fanzine, Capoeira, Percussão e MC

Projeção Animação Fotográfica ICH: Intercâmbio 2010

Projeção Filme: O Grande Bazar – Moçambique 2005

Cobertura Colaborativa

Apresentações Artísticas – Jam Coletiva

 

9:00 – Centro de Referencia da Juventude

R. Rebolo Gonzáles, 185. Cercado Grande – Embu das Artes

 

Exposição Fotográfica

Projeção Animação Fotografica ICH: Intercâmbio 2010

Projeção Filme: O Grande Bazar – Moçambique 2005

 

19:00 – Escola Estadual Architiclino Santos

R Maestro Italo Izzo, 110 – Pq Continental

 

Exposição Fotográfica

Projeção Animação Fotografica ICH: Intercâmbio 2010

Projeção Filme: O Grande Bazar – Moçambique 2005

Apresentações Artísticas: RAP, Break, DJ e Improvisações

Cobertura Colaborativa

Graffiti


20/11

 

10:00 – “7ª Marcha da Consciência Negra”

Centenário da Revolta da Chibata

Mãe Preta / Largo do Paissandu – Centro

 

27/11

 

10:00 – 14:00 Interconexões Humanas

Transmissão estreitar Laços Brasil – Moçambique

Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso – São Paulo/SP
Av. Deputado Emílio Carlos, 3.641. Vila Nova Cachoeirinha. Zona Norte. (ao lado do terminal Cachoeirinha)

 

 

 

Maiores Informações:

 

www.rededaquebradapraestrada.wordpress.com

 

www.interconexoeshumanas.wordpress.com

 

www.twitter.com/ivoz


É Preciso Dar Vazão

Segue Matéria produzida no Centro Cultural Brasil – Moçambique